A diversificação de investimentos é muito importante na hora de construir o seu patrimônio. Isso porque ela ajuda a proteger os seus investimentos para que você não comprometa a sua rentabilidade. Nesse sentido, é fundamental estudar a fundo cada opção de aplicação, entender como o mercado financeiro funciona e qual é a liquidez de cada alternativa para, então, fazer a sua escolha.

Nesse momento, é possível variar entre os investimentos mais conservadores e os mais arriscados, mas sempre com os pés no chão e com um bom planejamento para não ter surpresas desagradáveis que podem tirar o seu sono.

Quer saber como fazer de uma maneira segura? Então, continue a leitura deste artigo até o final que explicaremos quais ações precisam ser tomadas nesse momento. Acompanhe!

Por que é preciso fazer a diversificação de investimentos?

Em suma, a diversificação de investimentos vai ajudá-lo a ter equilíbrio entre os seus ganhos e perdas. Embora o crescimento do seu capital desacelere, há a oportunidade de construir um bom patrimônio em longo prazo. Mas, além disso, também existem dois fatores que precisam ser considerados. Veja quais são eles!

Redução de riscos

A maior preocupação do investidor é em relação ao risco da operação. Só pensar que existe a possibilidade de perder todos os valores aplicados em determinada classe de ativo, por conta de uma variação do mercado, já é motivo para causar arrepios em qualquer pessoa.

Nesse sentido, a diversificação de investimentos apresenta uma solução para esse problema: a redução de riscos. Isso só é possível porque, por meio dela, é viável investir seu capital em várias classes de ativos diferentes. Sendo assim, sempre que você tiver algum tipo de perda em uma aplicação, a rentabilidade das demais pode suprir essa perda, fazendo com que os seus rendimentos não sejam prejudicados.

Potencialização de ganhos

Todo e qualquer investimento tem um risco — por mais mínimo que seja, ele ainda existe. Dessa forma, é válido ressaltar que, mesmo que você aplique o seu dinheiro em um investimento de menor risco, ainda assim, há a possibilidade de perder dinheiro. Mas quando você diversifica a sua carteira, além de diminuir as chances de perdas, também consegue potencializar seus ganhos.

Isso acontece porque, por meio dela, é possível ter mais opções de rentabilidade. Por exemplo: se você investe no Tesouro Direto, é provável que o retorno seja bom, pois é um investimento seguro. Mas se, ao mesmo tempo, investir no mercado de ações, o seu retorno pode ser ainda maior — desde que as opções sejam muito bem estudadas e analisadas.

Como fazer isso?

Depois de conhecer a importância da diversificação de investimentos, é hora de saber como fazer isso da maneira correta sem comprometer a sua rentabilidade. Confira!

Conheça seu perfil de investidor

No geral, existem três tipos de investidores: os conservadores, os moderados e os arrojados — ou agressivos. Conheça cada um deles.

Conservadores

Os conservadores são aqueles que têm uma maior aversão ao risco e buscam preservar o patrimônio acima de tudo. Para eles, manter o dinheiro em segurança é mais importante do que aumentar os ganhos.

Essa categoria abrange também os iniciantes e aqueles que desejam criar reservas de emergência e, por isso, procuram por alternativas de alta liquidez, isto é, que tenham facilidade para o saque.

Moderados

Os moderados estão no caminho entre os conservadores e os agressivos. Assim como os primeiros, têm o objetivo de preservar o patrimônio. No entanto, para potencializar os ganhos, estão dispostos a correr alguns riscos.

Por esse motivo, usam uma parte do dinheiro para comprar cotas e ativos com menor liquidez e investem uma parcela do que têm em opções que possam gerar maiores ganhos.

Os prejuízos, porém, são calculados. Logo, eles costumam ter mais recursos para diversificar os investimentos e trabalham com horizontes de médio a longo prazo.

Arrojados

Com um perfil mais agressivo, os arrojados são aqueles que estão atrás de lucros maiores. Para isso, assumem o risco de perder uma parcela — ou mesmo o todo — do montante aplicado.

Em geral, têm um amplo conhecimento do mercado financeiro nacional e internacional e contam com um patrimônio elevado, ao ponto de os valores investidos não fazerem falta no curto e no médio prazo. Com uma perspectiva de longo alcance, acreditam que eventuais perdas no presente serão compensadas com ganhos futuros.

Defina a classe de ativos

Depois de definir qual é o seu perfil de investidor, ou seja, quais são os riscos que está disposto a correr, é hora de selecionar a sua classe de ativos. Entre eles, você pode escolher os investimentos de renda fixa que, apesar de oferecerem uma menor rentabilidade, costumam ser mais seguros e, também, pode optar por aplicações em renda variável, como é o caso do bitcoin — a moeda digital descentralizada, que traz excelentes retornos financeiros.

Acompanhe os resultados da sua carteira

Depois de montar a sua carteira de investimentos, é preciso acompanhar o mercado a fim de verificar se as aplicações realizadas estão dando o retorno esperado. Caso ache necessário, você pode fazer um rebalanceamento da sua carteira. Por exemplo, se observou que os investimentos de alto risco estão dando melhores retornos, você pode fazer algumas modificações. Se, antes, apenas 25% da sua carteira representava os investimentos em renda variável, agora, você pode aumentar para 50%.

Procure ajuda especializada

O mercado financeiro é muito complexo, por esse motivo, todo cuidado é pouco na hora de diversificar seus investimentos. Mas nem tudo está perdido. É importante você saber que é possível contar com profissionais especializados na área que têm a expertise necessária para analisar o seu perfil de investidor e indicar as melhores opções. Sendo assim, procure um profissional da sua confiança para ajudá-lo a ter bons retornos financeiros.

A diversificação de investimentos é fundamental para tornar a sua rentabilidade mais segura. Se você está procurando por boas aplicações, significa que está em busca de um futuro melhor, certo? Sendo assim, não deixe de seguir nossas orientações para não errar na escolha e, assim, prejudicar suas finanças. Estude sempre e, claro, conte com o apoio de profissionais experientes no mercado financeiro.

Conseguimos sanar suas dúvidas com este artigo? Caso negativo, deixe seu comentário abaixo para podermos ajudá-lo!