Nos últimos anos, a tecnologia tornou incontáveis atividades possíveis no dia a dia de todas as pessoas. Se antes era necessário carregar moedas por grandes distâncias, hoje você já pode trocar moedas digitais na internet. E algumas delas podem valer tanto quanto ou ainda mais do que algumas moedas físicas.

O processo de permuta entre moedas já é bem conhecido e utilizado em larga escala todos os dias. O mercado financeiro envolve a troca entre essas moedas como forma de investimento e o comércio internacional permite que empresas recebam pedidos de outros países com muito mais facilidade graças ao câmbio.

Diante desse grande mercado e do aumento na segurança digital, foram criadas moedas virtuais, o que afetou consideravelmente o cenário econômico mundial. Se você quer entender melhor como elas funcionam e por que vale a pena usá-las, acompanhe.

O que são as moedas digitais?

Como o nome já deixa a entender, são moedas que só existem em espaços virtuais, sem nenhuma versão impressa correspondente. Sendo assim, todas as transações também precisam ocorrer no espaço virtual, seja por meio de computadores, celulares ou máquinas de cartão. Considerando o grande avanço da internet hoje em dia, isso não costuma ser um inconveniente.

O nome técnico usado é “criptomoeda”, pois é usada uma tecnologia de criptografia para impedir fraudes nas transações e armazenamento dos valores. Graças a chaves e códigos quase impossíveis de quebrar, é possível fazer operações muito mais seguras com moedas virtuais, além de prevenir contra a reprodução indevida, em que uma pessoa manipularia o código para gerar mais dinheiro.

Os exemplos mais proeminentes entre as moedas digitais, como você já deve ter ouvido falar, são o Bitcoin e o Ethereum. O Bitcoin foi o primeiro a obter sucesso como criptomoeda, criado em 2008. Seu crescimento foi explosivo e levou um longo período para se estabilizar. O Ethereum, por sua vez, não obteve muita relevância desde sua criação, em 2014, até 2017, quando seu crescimento ultrapassou a marca dos 4.000% — uma margem de lucro absurda sob qualquer perspectiva.

Por que as criptomoedas são tão relevantes?

Em primeiro lugar, as criptomoedas mudaram a forma como o público geral percebe o dinheiro e o sistema financeiro como um todo. Ao redor do mundo, ainda há uma associação muito grande entre o conceito de “moeda” e o dinheiro físico. A existência de criptomoedas, por si só, já põe boa parte dessa percepção em questão.

Além disso, ter uma ferramenta ainda mais prática para fazer transações internacionais contribui muito com as diversas operações e investimentos realizados diariamente no mundo inteiro. Mesmo com a tecnologia atual, ainda havia muita burocracia envolvida na troca entre moedas. Ter uma moeda digital como ponto de referência pode certamente diminuir o custo da permuta e otimizar qualquer negócio.

Como as moedas digitais funcionam?

Considerando a própria natureza de uma moeda virtual, como seria possível garantir a segurança das transações, ainda mais em um ambiente no qual é tão fácil gerar fraudes e outros crimes? Para isso mesmo servem os sistemas de criptografia e blockchain, ferramentas de segurança poderosas o suficiente para garantir a escassez de uma moeda em um espaço em que a replicação de conteúdo pode ser infinita.

Criptografia, caso você não conheça, é a utilização de chaves de códigos únicos para ocultar informações, criando padrões praticamente impossíveis de decifrar. Dessa forma, é possível prevenir contra a manipulação dos dados em questão.

Já o blockchain, por sua vez, é um sistema de verificação de dados em larga escala. Nele, uma série de servidores e computadores ao redor do mundo registram a informação da conta, sem ter acesso direto a ela. Quando é feita alguma modificação, os dados entre todas as máquinas são comparados para confirmação. A única forma de falsificar a informação seria violar todas as máquinas envolvidas ao mesmo tempo.

Por meio desse sistema, seus bitcoins/ethereuns são colocados em uma carteira virtual, a qual pode ser acessada pela internet. Com um número de cadastro e uma senha, você pode usar essa carteira para realizar pagamentos, fazer investimentos e transações internacionais.

Como adquirir criptomoedas?

O processo de compra e venda das moedas digitais, como você já deve imaginar, ocorre por meio da internet, com a ajuda de empresas intermediárias. Basta encontrar uma representante em seu país e entrar em contato para criar sua conta. A partir daí, a companhia vai lidar com a conversão do seu dinheiro no banco para criptomoeda.

Dependendo da empresa que você escolher, pode ser que você precise seguir algumas regras levemente diferentes. Por exemplo, você pode ter a liberdade para fazer investimentos utilizando dólares. Em outros casos, pode ser necessário solicitar o saque em sua carteira digital ou converter o valor novamente em outra moeda.

Como você pode investir em moedas digitais?

O procedimento básico para investir em qualquer moeda, não apenas em criptomoedas, é comprar certa quantia quando a sua tendência é de valorização e trocá-la por outras moedas quando essas estiverem em momento de valorização. Dessa forma, o valor acumulado delas pode ser convertido de volta em sua moeda de preferência para fazer mais aquisições.

Como prevenção, é recomendado não investir mais do que 5% do seu patrimônio nesse mercado. As criptomoedas sofrem algumas oscilações de valor diariamente, o que significa que você pode ter um grande lucro em um momento e passar para o prejuízo em horas ou minutos. Também vale a pena ter a ajuda de uma corretora ou consultor nesse processo.

Por fim, tenha sempre em mente que essas moedas não são aceitas em todo o mundo. Alguns países, principais polos financeiros do mundo (Estados Unidos, por exemplo), já aceitam e incentivam seu uso. Porém, para outros países, como Bolívia e Tailândia, ela pode ser uma ameaça à estabilidade econômica local. Sendo assim, são proibidas.

Há um novo mundo de possibilidades que se abre graças à criação e popularização das moedas digitais. Além de serem um investimento com diversas vantagens, elas também facilitam várias transações financeiras ao redor do mundo.

Quer continuar aprendendo mais sobre essas moedas e como elas influenciam a economia? Então siga-nos no Facebook, LinkedIn, Instagram e Twitter para receber todas as nossas informações em primeira mão.