Subscribe Now

* You will receive the latest news and updates on your favorite celebrities!

Trending News

Como a multiassinatura auxilia na proteção da carteira de Bitcoin
Bitcoin

Como a multiassinatura auxilia na proteção da carteira de Bitcoin

O Bitcoin é uma criptomoeda que trouxe várias outras tecnologias consigo. Muitas delas renovaram a maneira como nós pensamos em realizar as transações, como é o caso da Blockchain. Contudo, entre todas essas possibilidades, a carteira multiassinada representa uma parte desse tipo de tecnologia flexível e que pode ajudar a garantir a segurança dos usuários da criptomoeda.

Neste texto, nós vamos entender um pouco mais sobre suas funcionalidades. Confira!

O que é a multiassinatura?

A multiassinatura é uma carteira de custódia de bitcoins que para realizar saques são necessárias aprovações de mais de uma pessoa dependendo da configuração desta carteira. Isso significa que se a senha de uma das pessoas for revelada ao público, ainda assim não será possível realizar o saque por um desconhecido.

Como essa ferramenta funciona para as transações?

Em 2012, foi desenvolvido um novo tipo de endereço conhecido como P2SH (pay-to-script-hash). Sua principal característica é que, em vez de começar com o número 1, ele inicia com 3. Sendo assim, por ser um endereço que consegue suportar várias chaves privadas, é o utilizado para a multiassinatura.

De forma geral, podemos dizer que P2SH e a multiassinatura funcionam como um cofre, que só é possível abrir com pelo menos duas chaves. Então, no caso das carteiras multiassinadas, para movimentar seus fundos, será preciso, pelo menos, o consentimento de mais um signatário.

Por que ela é importante?

Apesar da simplicidade do endereço padrão do Bitcoin, isso não é a garantia de facilidade na transação. Primeiro, há o problema da segurança em relação às chaves da criptomoeda, pois elas, assim que são criadas, são apenas colocadas em um único dispositivo e somente a criptografia garante a segurança delas.

O problema é que é possível que ocorram falhas de acesso da máquina, ou mesmo, o arquivo que contém o endereço pode ser roubado. Um hacker ou malware podem aproveitar o momento em que o usuário digita a senha para roubá-la. Há programas que conseguem gravar o que se digita no teclado, e um bom exemplo é o key-logger.

Utilizar carteira multiassinada é uma maneira de proteger seus fundos, pois a única forma de movimentar tais fundos é por meio de várias assinaturas. Assim, mesmo que uma pessoa consiga uma das chaves, precisará de todas as demais registradas para conseguir realizar uma simples operação financeira.

Quais são as vantagens de usar uma carteira multiassinada?

Aqui, vamos conhecer alguns dos benefícios que as multi-assinaturas podem trazer. Acompanhe!

Eliminação de pontos de falhas

As multiassinaturas têm a vantagem de conseguir eliminar pontos únicos de falha no acesso às moedas. Para isso, é preciso que os proprietários gerem suas chaves e guardem-nas em lugares distintos, isto é, é possível criar uma chave no celular e outra no notebook, por exemplo.

Flexibilidade

Em uma carteira multiassinada pode ser configurado vários signatários. Exemplo: existir 5 co-signatários requerendo pelo menos 3 para autorizarem. Qualquer combinação de 3 dos 5 já consegue movimentar os fundos desta carteira, ou seja, na ausência, de 1 ou outro, sempre haverá a possibilidade de movimentações. O criador da carteira multiassinada é quem define quantos co-signatários e a quantidade mínima para movimentar os fundos.

Coletividade

Em muitas situações, o dinheiro precisa ser gerenciado por mais de uma pessoa — uma empresa que precisa autorizar pagamento, um casal que tem conta conjunta, entre outras situações, são bons exemplos. Nesses casos, a multiassinatura pode ser muito útil para que todos consigam administrar as criptomoedas com segurança.


Como criar multiassinatura?

Existem alguns mecanismos que facilitam o processo de criação das multiassinaturas hoje em dia. Muitas vezes, apenas com 4 cliques, já é possível. Porém, caso você tenha uma carteira que não tem essa funcionalidade, terá que arregaçar as mangas e gerar o seu próprio endereço.

Primeiramente, é preciso que você tenha muitos endereços Bitcoins, tanto quanto o número de participantes. Por exemplo, em um caso em que usaremos 3 endereços, nós programaremos de uma maneira que será preciso ter apenas 2 dessas chaves para autorizar uma transação. Nesse caso, será um endereço 2 por 3.

Depois de gerar esses endereços, as chaves públicas desses 3 devem ser entregues para um deles. Com elas em mãos e já programando qual é a quantidade para confirmar uma transação, é o momento de gerar o endereço P2SH.

Criado o P2SH, agora, qualquer uma das 3 chaves escolhidas pode começar uma operação. Mas, para isso, é necessário que você, detentor de uma chave privada, assine/autorize a transação e, depois, passe adiante o resultado para outra pessoa, para que ela, com a sua chave, possa assinar e, assim, autorizar a movimentação do fundo.

Carteiras Bitcoins e as multiassinaturas

Primeiramente, é importante deixar claro que as carteiras Bitcoins são capazes de gerenciar os endereços, porém, não de criá-los. No mercado, você encontra diferentes tipos que permitem essa funcionalidade, como Copay, GreenAddress, Armory e Electrum.

Algumas dessas carteiras são consideradas leves, e o usuário deve estar atento, pois há chances de vazamento de privacidade. É bom saber que esse tipo de dispositivo também permite que você utilize o endereço padrão.

Também há opções de carteiras hardware, ou seja, que ficam em um compartimento físico, como uma espécie de pen-drive. Sendo assim, para utilizar os endereços de multiassinaturas, é preciso associar a chave pública à privada que administra a carteira. Dessa forma, é possível criar um endereço de multiassinatura.

Bem, como vimos, as multiassinaturas com as carteiras Bitcoins podem ser ferramentas bastante úteis para a manutenção das criptomoedas, além de serem uma ótima forma de manter as moedas e realizar, com segurança, as transações na Blockchain.

Essas ferramentas, principalmente, as multiassinaturas, vêm para sedimentar o universo Bitcoin e mostrar que essa opção de dinheiro não é passageira, ela é o futuro das transações financeiras, garantindo que todas as operações com a criptomoeda possam ser feitas sem risco e de forma prática.

Gostou do nosso texto sobre multiassinaturas? Quer continuar aprendendo sobre esse universo e tendo acesso aos mais diversos conteúdos sobre o Bitcoin e o mercado? Então, acesse agora a nossa newsletter e não perca mais nenhum dos nossos textos!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *